quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Princesinha



Era uma vez uma princesinha.
No seu castelo,
Dentro da sua fortaleza.
Rodeada por todos os lados,
Suditos à bajula-la,
Amigos à diverti-la,
Família à ama-la.
A pequena princesinha,
Que vivia em seu reino perfeito,
O reino perfeito até então governado por seus pais.
O reino sem choro,
Sem magoa,
Sem falsidade descoberta,
Um reino alegre.
Um reino que a princesinha queria,
Queria porque queria governa-lo.
Queria assumi-lo por completo,
E fazê-lo cada dia mais alegre.
Uma princesinha que queria muito,
Queria muitas coisas,
Tinha desejos,
Vontades,
E principalmente sonhos.
Sonhos lindos,
Planejados por detalhes.
E como toda princesa ela queria o seu príncipe encantado.
Em um dia lindo e alegre, ela encontrou o seu príncipe.
Como todo príncipe deveria ser,
Ele era,
Era lindo,
Rômantico,
Educado,
Atencioso,
Dedicado,
Um verdadeiro príncipe encantado.
Nada poderia ser mais perfeito.
O seu reino estava cada dia mais alegre,
A família continuava à ama-la,
Amigos? Ainda tinha os montes.
Mas um dia isso começou a mudar,
Os amigos que eram tão especiais,
Já não havia mais.
Nem os suditos a adora-la.
Restou apenas o príncipe e a família.
O reino começou a se decair.
A se entristecer.
A morrer.
Recuperava-se apenas quando viam o príncipe perto da princesinha.
Mais nesse momento de crise,
Foi que chegou a notícia,
Seria coroada,
Se tornaria rainha do seu próprio reino.
O sonho em meio a solidão.
Até então estava perfeito,
Organizara tudo para a cerimonia.
Tudo como ela havia planejado,
Todos os mínimos detalhes se realizando.
A não ser por um detalhe,
Os convidados.
Ela não achava a quem convidar,
Não havia mais os amigos,
Nem suditos,
Não havia ninguém além da família e do príncipe.
Somente eles ela realmente gostaria de convidar.
Queria também alguns poucos amigos que não desapareceram.
Mais precisava ser uma festa grandiosa.
Fez então os convites,
Mandou o primeiro ao príncipe.
Depois mandou àqueles amigos que não a esqueceram,
Os demais mandou àqueles que foram os seu suditos,
Os seus ex-bajuladores,
E aos seus amigos que sumiram.
Aos amigos que se destanciaram dela derrepente.
Estes seriam os seus convidados.
Parecia perfeito até então.
E seria se não fosse alguns detalhes,
E o principal detalhe.
O mais aterrorizante.
E o mais triste para a linda princesinha.
Foi no dia da festa de cerimonia,
Parecia tudo perfeito até então.
A princesinha estava feliz,
Pela primeira vez em sua pequena vida.
As coisas estavam dando realmente certo.
A poucas horas seria a rainha de todo o seu reino.
Já estava na hora da cerimonia,
Mas, onde está o príncipe?
Ele não virá.
Ninguém sabe dizer o porque,
Ele não atende a ninguém.
Então a princesinha com o coração partido,
Totalmente as lágrimas,
Tenta procura-lo.
Ele diz que não irá.
O mundo desabou.
Mas ele não podia estragar tudo assim.
Era a noite dela!
A única noite dela!
A pequena princesinha precisava seguir em frente.
E aproveitar a sua tão sonhada noite.
Mas ela não conseguia.
Hora da entrega da coroa.
Ela queria que ele visse isso!
Ela queria que ele estivesse ali!
Era tudo que ela mais queria!
Ver um sorriso dele ali no meio daquelas pessoas!
Pessoas que para ela nem fazia diferença se estivesse ou não lá.
Mais ele fazia.
O seu príncipe deveria estar lá.
Mais naquele momento ela precisava sorrir.
Ela respirou fundo,
E no momento em que esteve recebendo a coroa,
Se esqueceu o máximo de que ele não estaria lá.
Mais depois da coroa recebida haveria a festa,
A sua festa,
A tão esperada festa.
Mais aquela hora ela não queria festa.
Ela queria estar sonhando.
Queria acordar!
E ver que foi só um pesadelo.
Mas era real.
E só seria aquela noite.
Ela precisava aproveitar,
Era a noite dela.
Mas ela não conseguia!
Ela não conseguia parar de pensar nele.
Ela tentava,
Mas não conseguia.
Tentar conversar com outros,
Não adiantava.
Ela o AMA!
Ela conseguir aproveitar a sua noite?
Sim, não como sempre sonhou.
Mas sim ela conseguiu.
Mas agora a princesinha deitada em sua cama,
Na sua primeira noite como rainha,
Apenas chorava.
As lágrimas de ácido,
Que corroíam o seu rosto,
E também o seu coração.
A dor de descobrir que não foi sonho.
Não foi um pesadelo.
Foi real.
Ele não veio.
Como dói as lágrimas que agora escorrem.
O conto de fada acabou.
No outro dia,
Encontrava-se a princesinha,
Sentada do lado de fora do castelo.
Esperando explicações do príncipe.
Porque ela o amava!
Mais ele não apareceu.
Não ligou.
Não a procurou.
Algum tempo depois a princesinha o procurou.
"É tão burrinha essa princesinha!"
Era o que todos diziam.
E isso se confirmou.
O príncipe não disse nada.
Nem se importou.
Ela resolveu tocar então a vida pra frente.
Deixar rolar.
Embora toda noite,
Ela apenas chorasse.
Até então que poucos dias depois,
O príncipe foi procura-la.
Mas ela estava machucada demais.
Mas passados mais alguns dias,
A princesinha,
Mesmo sem ter recebido uma explicação,
Por mais machucada que estivesse,
O perdoou.
Pois ele disse que seria diferente,
E a princesinha o amava!
E viu que não conseguiria viver sem ele.
E até então, está sendo.
Mas depois de tudo isso acontecer,
A princesinha descobriu que não vale a pena sonhar.
Que ela realmente nunca terá um sonho perfeito realizado.
E que, descobrir que um sonho virou ilusão dói demais.
Descobriu que a vida é feita de ilusões.
Mas descobriu também que não é possível viver por outra pessoa.
Que não podemos esperar de outras pessoas a nossa felicidade.
Que devemos viver as nossas vidas sem intrometer na dos outros.
E que para sermos realmente felizes precisamos acreditar no amanhã.
Acreditarmos nas outras pessoas.
Permitir uma segunda chance,
Por mais machucados que a primeira lhe tenha trago.
Precisamos também saber lidar com as ilusões.
E tentar ser feliz.
E percebeu que o amor mata.
Mas ele também ressuscita.
E essa é a razão da vida,
Viver, mesmo sem razão,
Mesmo sem sentido,
Apenas viver.
Isso foi o que a princesinha descobriu.
Quando conheceu a ilusão,
E quando sentiu-se amada pelo príncipe, pela primeira vez.

3 comentários:

Fabíola Amaral disse...

Linda você e seu blog!

Saber que o amor mata... e ressuscita é um dos grandes segredos da vida!

Daniela Piva disse...

Obrigada, princesinha! Volte sempre!
E nunca deixe que um príncipe destrua seu castelo...
Beijos!!!

Tatah Marley's Confissões disse...

LINNNDO!
;')